Lei da Vida, uma eterna transformação





Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa

Fernando Pessoa me definiu em apenas uma frase.
Tenho medo dessa travessia, como diria o meu próprio "eu", gostaria de ser eternamente jovem em mente e físico.
A revolução de cremes e botox deixa somente a pele mais jovem, mas o corpo inteiro está cansado pedindo já um descanso.
Quando será que descobrimos que envelhecemos? Talvez a resposta venha quando estivermos no leito de morte, por velhice, lógico.
Dá um pouco de medo de pensar no futuro, por essa razão vivo o hoje inteirinho deixo o amanhã literalmente para manhã.
Falta um pedaço de mim em minha vida, falta um recomeço em alguma parte da minha vida que se frustrou.(não gosto dessa palavra frustração)
Mas onde será que ela parou?
Estou vivendo um mundinho, tão pequenino, de casa para o trabalho do trabalho para casa, encontra os amigos aqui mesmo e só, isso quando encontra, senão é só nós duas, eu e eu.
Para mim que tinha um mundo gigante cheios de idéias e muitos desejos, sabe, boa parte deles se perderam pelo caminho, gostaria de resgatar um a um.
Sei, sou uma saudosista, não nego. Não deixo de sonhar, meus devaneios me leva a lugares distantes, inalcansáveis, mas não impossíveis.
Busco em cada minuto da minha vida estar conectada com os meus sonhos, para não me frustrar ainda mais.

Abraços

Luiza

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Colapso da Educação

Em Busca de Dinheiro na WEB