Uma Mera Mercadoria

A criança é alegria como o raio de sol e estímulo como a esperança.

Coelho Neto


Olhando para a minha netinha pensando se ela nos perde, para onde irá Carol, imaginando o drama de pais adotivos provisórios que perdem a guarda das crianças em detrimento de familiares que se quer podem cuidar das mesmas.
Há um drama vivido por um casal do Rio de Janeiro e uma criança do meu estado, Espírito Santo, eles estão no cadastro nacional de adoção, conseguiram a guarda provisória de uma criança e três meses depois a justiça traz a criança de volta e coloca com membros de sua família que declara publicamente não ter condições de ficar com a menina.
Enquanto isso a justiça diz que a mercadoria, ops..., criança não está apta para a adoção.
Existe a Lei da Infância e da Juventude exatamente para não deixar a criança sofrer maus tratos, por outro lado violentam uma criança quando arrancada de seu lar adotivo provisório onde ela tem tudo amor, carinho, seu próprio quarto e é tratada como se tivesse nascido do ventre deles. A criança não larga o álbum de fotos da família adotiva e a todo momento pede para voltar para a casa desses pais.
O que fazer com essa Lei, qual a solução cabível nesses casos?

Bom dia!!!

Luiza